Translate

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Yamaha MT-09 Tracer 2015: aventura em três cilindros.

Por Waldyr Costa
Imagens divulgação.

A Yamaha Tracer terá duas versões: MT-09, que falaremos agora e MT-07, que ainda não é oficial. 

Usando a mesma base da MT-09, a Yamaha desenvolveu a Tracer, uma versão trail/aventureira/turística que já está fazendo sucesso na Europa. Ela é uma releitura da Yamaha para o conceito sport adventure. A moto ganhou dois nomes: na América do Norte ela se chama FJ-09 (que faz par com a FZ-09, nome da MT por lá) e na Europa ela é a MT-09 Tracer, que será o nome mais provável dela aqui no Brasil também. 


A nossa expectativa é que a Yamaha MT-09 Tracer desembarque no Brasil ainda esta ano.

É isso mesmo, ela virá, mas ainda não sabemos a data. Provavelmente nos salões deste fim de ano ela estará por aqui. Talvez até em companhia da nova MT-07 Tracer, que está para ser lançada na Europa. Ela pode fazer o papel de moto integral, ou seja, serve para transporte no dia-a-dia, passeio, curtas viagens de fim de semana ou longas viagens de férias. Essas motos de turismo-aventura estão até competindo com as esporte-turismo devido às boas suspensões (papa-tudo) aliadas ao conforto sem perder muito em desempenho. Elas estão em grande evidência no momento. 

A Tracer se beneficia do quadro e motor da naked MT-09.

Criar versões de um (mesmo) novo modelo é uma tendência geral para todas as marcas, que têm aproveitado as novas bases para criar várias variações com mesmo motor: naked, sport, touring, adventure, custom, crossover etc. Especialmente a versão trail urbana (adventure/crossover) tem sido uma das mais escolhidas. Não se espantem se este motor/quadro equipar uma sport-touring ou ter uma versão mais esportiva carenada. Vejam, por exemplo, a Kawasaki, que tem a Versys, a Ninja, a ER-n e a Vulcan S todas equipadas com o mesmo motor. Seria uma boa a Yamaha fazer assim com o excelente conjunto das MT-09 e MT-07.

A herança ciclística e motorização da naked MT-09 garante estabilidade, agilidade e desempenho à tracer.

A chegada da MT-09 marcou o início de uma nova era para a Yamaha, ratificado pela MT-07, que consolidou a nova série MT como uma referência das potencialidades e qualidades da marca. Antes houve a MT-1 e a MT-3. A MT-1 usava um V2 de 1.700cc derivado das custom e a MT-3 usava o mesmo propulsor da XT660R/Z/X. No Brasil as primeiras MT duraram pouco e não caíram bem no gosto. Já as novas 09 e 07 estão detonando nas vendas e firmando destaque em suas categorias.

A revolução da nova linha MT é uma das maiores da história da Yamaha.

Como vocês já viram aqui a MT-09 (naked) em todos os detalhes, podemos nos focar no que a aventureira Tracer traz de diferente. A Yamaha não vai deixar de explorar as possibilidades que as suas orgulhosas “crias” MT-07 e MT-09 - grandes sucessos mundiais, especialmente a MT-07 - podem gerar e delas criar versões que atendam às mais variadas necessidades de uso, como off-road de lazer, passeios longos, custos, uso urbano, rodoviário e o que mais seja possível. Pegar uma fórmula de sucesso e criar uma derivação, é o que toda montadora quer. O problema é a fórmula, mas isso a Yamaha já tem.

A tecnologia crossplane, derivada das MotoGP, é uma das qualidades deste propulsor de 850cc e três cilindros.

O motor é o nosso conhecido da MT-09: tem três cilindros em linha, cilindrada de 847cc, potência de 115cv, torque de 8,9kgfm e câmbio de 6 velocidades. Na Tracer ele ganha controle de tração dedicado ajustável e controle de potência selecionável. Acompanha o pacote um tanque maior, assento ajustável e freios ABS. Um novo estilo visual agressivo foi criado para a frente da Tracer, como foi o da MT-09 quando lançada, inserido no conceito “Dark Side” da Yamaha. Um bom aperitivo até pra quem não é fã da marca.

Faróis sem lâmpadas de filamento. Somente leds de alto desempenho, que garantem boa iluminação, foram usados.

Na frente se destacam os faróis de Led e o pára-brisa ajustável. O tanque é volumoso devido às carenagens laterais e parece ter mais que os seus 18 litros de capacidade. A semiicarenagem é toda dividida, com muitas camadas, o que nos deixa observando os detalhes e torcendo para que tudo seja bem ancorado com buchas de borracha para evitar ruídos. O ajuste da bolha, do guidom e do assento são recursos que deixam a moto mais versátil para grandes e pequenos condutores. Há ainda os modos selecionáveis de gerenciamento do motor e regulagens nas suspensões. No aspecto de configuração, a Tracer pode ser realmente personalizada sem ser preciso gastar um centavo a mais.

Para se obter avanço ou recuo, é só soltar o guidom e girar os suportes 180º,  alterando a distância para o piloto. 

O guidom tem os suportes reversíveis, ou seja, invertendo as suas posições ele fica mais à frente ou mais recuado, e já vem com protetor de mãos com desenho aerodinâmico. O assento do piloto é separado do garupa e conta com regulagem de altura em duas posições: 84,5 ou 86 cm. O pára-brisas é ajustável em três alturas, variando 15mm de uma para a outra, sem precisar de ferramentas para tal.

O tanque tem capacidade para 18 litros e é capaz de render mais de 300km se você não estiver muito empolgado na viagem.

O tanque de combustível aumentou 4 litros em relação à MT-09, na tracer ele tem capacidade para 18 litros de gasolina. Considerando o consumo médio da MT na faixa de 17 litros, a autonomia passa dos 300km. Um valor bem razoável para turismo. No desenho do tanque foi previsto o encaixe dos joelhos, o rebaixo permite sentar com as pernas menos abertas, equivale a mais conforto e menos cansaço, passando mais sensibilidade ao piloto.

A tração traseira é gerenciada pelo TCS, sistema anti-patinação, que pode ser desabilitado pelo piloto.

A Tracer já vem de fábrica montada com sistema de controle de tração selecionável (TCS - Switchable Traction Control System), um item obrigatório nas melhores motos da categoria. O sistema previne a patinação do pneu traseiro pelo corte momentâneo da potência do motor, isto dá mais segurança e confiança ao piloto em pisos escorregadios. Este sistema pode ser desativado quando o piloto quiser.

Modos de controle de potência e de aceleração como na naked, mas com configuração ajustada à proposta da Tracer.

Outros gerenciamentos eletrônicos são os modos de controle de potência do motor, permitindo a quem pilota escolher entre três tipos de resposta, o mesmo da MT-09. Mas a configuração do D-Mode é dedicado à Tracer e difere daquele da MT-09, com respostas mais suaves às acelerações, mais de acordo com a proposta turística/aventureira da moto. Além desses itens ainda encontramos o YCC-T (Yamaha Chip Controlled Throttle), que nada mais é do que um controle eletrônico do acelerador para otimizar precisão resposta nas acelerações e retomadas.

O quadro é o mesmo da MT-09 naked. Na Tracer ele é garantia de agilidade, rigidez e controle.

A Tracer é montada sobre o mesmo chassis de liga de alumínio forjado da MT-09, que é leve, tem boa rigidez e oferece ótima manobrabilidade. É um quadro estreito, com a seção central delgada e em formato diamante, com o encaixe da balança “fora” da viga estrutural lateral. O eixo do garfo traseiro é encaixado num apêndice e não atravessando o meio da barra lateral inferior do quadro, como é mais comum encontrar em outras motos. Com isso os pés ficam menos separados e permitem melhor controle da moto.

Farol alto à direita (esquerda da foto), baixo à esquerda e de posição acima. Um grupo de leds específico para cada função.

A iluminação da Tracer 09 (chamei de 09 porque a versão Tracer 07 já está chegando) é totalmente de leds. O farol principal fica a cargo de um par de refletores individuais, com leds dimerizáveis (de intensidade ajustável) integrados que podem ter seu alcance alcance regulado sem uso de ferramentas. Tanto o farol alto como o baixo usam leds de alta eficiência, e as luzes de posição são leds de baixo consumo. O grupo ótico é uma forte identidade da Tracer.

O painel é bem legível, com várias funções configuráveis e integrado a alguns acessórios opcionais que você pode instalar.

O painel digital duplo multifuncional da Tracer é totalmente novo. Simples, porém completo. Simples pelo fato de usar LCD de fundo branco com dígitos pretos, que permite ótima leitura e excelente definição. Completo pelo conjunto de informações disponíveis. No painel do lado esquerdo estão o velocímetro e o tacômetro de barras, além do marcador de combustível, relógio e o indicador dos modos de controle de potência. No do lado direito estão o indicador de marcha, consumo e odômetros. Também outras informações podem ser exibidas, como temperatura para o aquecedor de manopla, disponível como acessório. O painel pode ser personalizado conforme suas preferências e prioridades.

Sistema de freios com ABS e excelentes pinças monobloco, derivado de motos esportivas. Manutenção rápida e fácil.

O “trem de pouso” da Tracer vem equipado, de série, com ABS. Utiliza rodas aro 17” na frente e atrás, vestidas com pneus para turismo com medidas 120/70ZR17 e 180/55ZR17. Um item muito apreciável e básico é a inclusão do cavalete central de série, e não opcional como nas concorrentes. Uma ampla gama de acessórios está disponível para a linha MT, e a Tracer tem um conjunto de itens específicos para ela, incluindo malas laterais e baú integrados ao quadro, com encaixes rápidos para montagem e desmontagem nas viagens.


As cores disponíveis para a MT-09 Tracer são o cinza fosco (Matt Grey), vermelho lava (Lava Red) e o azul competição (Race Blu). Segue abaixo muito mais imagens para você ir se instigando enquanto ela não chega em nossas terras.









Tomada 12V do tipo "acendedor de cigarros"de série.

Cavalete central de série.

Assento ajustável em duas posições.

Para-brisa ajustável em três posições.































49 comentários:

  1. Espetacular. As MTs vieram pra revolucionar. Honda com seus preços abusivos que se cuide. Kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cley. Realmente as MT são um novo capítulo na História da Yamaha. Obrigado pela participação.

      Excluir
  2. Especula-se em torno de 42mil. Resta saber se irá ser párea para as rivais BMW e Triumph. As MT's vieram pra ficar.

    ResponderExcluir
  3. A Yamaha pretende vender este modelo no Brasil ? Quando ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Início de Janeiro será montada por aqui. Estará disponível para pré venda no Salão Duas Rodas

      Excluir
  4. Olá Alexandre. Nada oficial até hoje (20/07/2015), mas a lógica é que ela venha a ser vendida também aqui. Os salões nacionais de motocicleta estão chegando, deveremos ter bastante novidades de várias marcas. Aguarde mais um pouco. Até outubro/novembro deste ano teremos uma definição.

    ResponderExcluir
  5. É só chegar por aqui ....já vou comprar ,ela é linda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos torcer para que ela seja apresentada como lançamento no Brasil neste Salão Duas Rodas 2015. Boa sorte.

      Excluir
  6. Nos Estados Unidos ela custa em torno de 10.500 dólares , no Brasil "não deveria" ultrapassar tanto os 30.000 Reais. :(

    ResponderExcluir
  7. Nos Estados Unidos ela custa em torno de 10.500 dólares , no Brasil "não deveria" ultrapassar tanto os 30.000 Reais. :(

    ResponderExcluir
  8. Linda d + , pelo que conversei com um vendedor aqui da Yamaha deve chegar no inicio do ano como linha 2016 ano e modelo , e a estimativa que é uma incógnita , a rumores de ser 4 a 5 mil a mais que a mt 09 , aqui no sul esse numero seria 44 mil .

    ResponderExcluir
  9. Ela e a Crossruner 800 da honda serão os grandes lançamentos pra 2016....quero uma delas.

    ResponderExcluir
  10. Eu estou esperando pelo preço da Crossruner 800 da Honda se fica abaixo de 40mil eu troco minha 500x e continuo na Honda, agora essa Tracer se vier na casa de 40mil achei mais top.

    ResponderExcluir
  11. Vamos aguardar a Honda informar o preço e a Yamaha

    ResponderExcluir
  12. Vamos aguardar a Honda informar o preço e a Yamaha

    ResponderExcluir
  13. Eu estou esperando pelo preço da Crossruner 800 da Honda se fica abaixo de 40mil eu troco minha 500x e continuo na Honda, agora essa Tracer se vier na casa de 40mil achei mais top.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maurício. A Honda não trará as motos com motorização V4 de 800cc: nem a CrossRunner e nem a VFR800. Um vacilo da Honda, a meu ver, pois confia demais em pesquisas feitas por empresas não especializadas na área motociclística, que indicam não haver interesse suficiente que justifique a importação ou produção. Uma pesquisa dessa só funciona se as pessoas certas, com o interesse e o poder aquisitivo correto forem questionadas, mas nenhuma empresa no Brasil faz esse tipo de pesquisa. Perdem tanto a Honda quanto o consumidor. A Yamaha é quem vem acordando cada vez mais e têm ótimos produtos para aumentar sua participação no mercado, que ainda é muito baixa. Trouxe a MT-09 Tracer 2016, por R$ 46 mil, e a ótima MT-03, naked da R3, que, embora não tenha sido oficialmente confirmada, está nos planos da marca, com chances de iniciar as vendas ainda em 2016. Nessa faixa de preço você também vai encontrar as ótimas Triumph trail de 800cc, também com motores tricilíndricos, e BMW F800GS, com motor bicilíndrico. A Suzuki também está com ótimo preço promocional na V-Strom 1000, ótima moto pelo preço pedido, R$ 45 mil, mais barata que a Tracer.

      Excluir
    2. Verdade Waldyr, to pensando ano q vem trocar minha cb500x pela tracer MT-09 ou a V-strom 1000 q está com ótimo preço.

      Excluir
  14. Olá Waldyr sou de Concórdia SC e tenho uma yamaha Fazer 600cc 2008 esta com 53000 km já tive 17 motos mas ate hoje não encontrei nenhuma moto que me desse tanto prazer em pilotar quanto a fz6 a moto e fantástica tanta na cidade quanto em viagens a minha ultima fiz 7400 km sozinho consumo na faixa dos 20km/l a yamaha mudou para a XJ6 um grande erro ,estou a espera da MT-09 Tracer se não vou continuar com minha FZ6.ATT GEORGE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá George, obrigado por participar. A MT-09 Tracer já tem comercialização iniciada com pré-vendas e a entrega deve começar em janeiro de 2016. A "09" não vai lhe dar o mesmo consumo baixo da FZ6, mas o prazer de pilotagem deve compensar esta perda. Você vai estar saindo de 600cc para 850cc, que por si só já é um montante de torque significativo, e se acrescentarmos o fato de que o motor da MT-09 é trabalhado para ter muito torque em baixa, coisa que você sabe que a FZ6 não tem, essa diferença ficará ainda maior. Veja se é possível fazer um test drive, mesmo que seja com a naked, antes de definir sua compra, para ver se é isso mesmo que quer. A FZ6 foi substituída pela FZ8, que não chegou a ser vendida no Brasil. Ela usa o mesmo motor da FZ1 com câmaras menores, que por sua vez utiliza o motor da R1 despotencializado. Resumindo, a FZ8 tem um motor de R1 "menor", mas também está parando de ser produzida justamente por causa da MT-09. A proposta da XJ6 é diferente: brigar com as 600cc de entrada e mais baratas. A FZ6 é uma 600cc premium. Boa sorte e pilote consciente.

      Excluir
  15. meu deus, e eu achando que a nc 750x era meu sonho de consumo...
    acordei, alguém sabe quando sai a 07 tracer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh Leal, todos nós torcemos anciosamente pela chegada da Tracer "07". Acho que é uma questão mercadológica do momento. A Yamaha já tem a moto pronta e já rodou com um modelo finalizado que foi flagrado camuflado na Europa. Mas às vezes é bom guardar as cartas na manga para um momento mais oportuno. Acho que é isso que acontece agora. Mas tenha certeza que ela virá. Boa sorte e pilote consciente.

      Excluir
  16. Peguei a minha na concessionária ontem e ja estou maravilhado, e olha que eu tinha uma CB 1000 r Extreme 2013 da Honda. A Tracer oferece um conforto e uma tecnologia de ponta que impressiona e te deixa nas nuvens. Agora é so esperar uma oportunidade e pegar a estrada pra desfrutar da minha vermelhinha. Alguém sabe me dizer onde consigo comprar as malas laterais dela?? Na Yamaha nåo sai por menos de 5k.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pela máquina. Se você tiver alguém que possa trazer dos EUA ou Europa, lá é metade do preço, embora com o Dólar e o Euro na alturas todas as opções ficam salgadas. Mas se o kit de malas for de qualidade "top" não vai ficar muito mais barato que os originais. Pesquise na web (E-bay e Amazon) sobre acessórios, calcule os custos com frete e acrescente o imposto, que é aproximadamente 70% em cima do preço combinado (produto + frete). Boa sorte e pilote consciente.

      Excluir
    2. Unknown, você comprou foi a MT 09 tracer? Então cara, eu terminei de vender minha NC 750 e em janeiro ia comprar outra nc 2016. Mas depois que o histórico da yamaha MT 09 trace, fiquei pasmado com a potencia e a tecnologia dessa moto. Amigo. já que faz alguns meses que você comprou a sua, desejaria que me falasse o que você acha de verdade dessa moto, principalmente conforto para grandes viagens e consumo. Desde já obrigado amigo!

      Excluir
  17. Comprei a minha na primeira semana de março, e desde os 07 Km, ela apresenta problemas em que simplesmente apaga e só volta a funcionar após colocar em N, e para sair tem que colocar a moto acima de 8000 RPM, queimar e embreagem e mesmo assim não é garantia de que vai apagar de novo, ás vezes apaga e ás vezes não. Já tentaram resolver várias vezes e até agora nada, e por causa desse problema outras peças ja sofreram desgaste prematuro, e que só vão se tornar em prejuízo real depois que a moto ja estiver fora da garantia e até agora a fábrica não se posicionou em fazer a troca na garantia (Motor, embreagem, câmbio/transmissão). Ou seja, se o objetivo for comprar essa moto para viagens acima de 50Km, eu não recomendo, pois ela não transmitiu confiança e nem a Yamaha é capaz de garantir nada. Eu deixei de comprar uma Tryumph Tiger 800, e no Salão Duas Rodas me senti impelido a comprar a Tracer (sonho de consumo), uma vez que já rodei mais de 300.000Km em motos Yamaha, todas tiradas na concessionária e não tive problemas. O Sonho agora é um pesadelo de R$ 48.000,00

    ResponderExcluir
  18. Adquiri uma Tracer na primeira semana de março, e desde os 07Km apresenta problemas, ela simplesmente apaga e só volta a funcionar depois de colocada em N, muitas vezes anda como que soluçando, para que ela saia, precisa subir o giro acima de 8000rpm, "queimar" a embreagem e mesmo assim não é garantia de que ela não vai apagar de novo. Até hoje o problema não foi resolvido e a moto continua na css, ocorre que devido a esse problema, algumas peças e partes sofreram desgaste prematuro (Motor, embreagem, câmbio e transmissão), coisa que só será sentida financeiramente quando a moto estiver fora da garantia de fábrica, 30.000 ou 40.000Km. Até o momento a fábrica não se posicionou e a css depende da fábrica. Tenho mais de 300.000Kms rodados em motos Yamaha, todos tiradas na css e nunca tive problemas. Ja estava decidido em comprar uma Triumph Tiger 800 e esperei até o Salão Duas Rodas para ver a Tracer, decidi pela compra por fidelidade a marca e por acreditar que estava realizando um sonho. Hoje tenho um pesadelo de R$ 48.000,00. Uma moto que não posso confiar para fazer uma viagem de mais de 50Km sem ficar parado esperando um guincho. A moto é linda, potente, econômica, mas não é confiável em nenhum sentido, se fosse uma Triumph ou BMW, ja teriam trocado o produto, afinal é uma moto cara, para ser mantida na garagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Reginaldo, que má notícia.
      Já tentou entrar em contato com a fábrica ou através do SAC?
      Procure não ficar dependendo só da concessionária, embora a fábrica sempre recomende isso. Junte toda a documentação possível, desde já, caso precise resolver judicialmente. Consulte um advogado para ter embasamento nas suas ações.
      Motos recém lançadas no mercado podem apresentar problemas inéditos mais facilmente. Infelizmente você foi sorteado, mas a fábrica tem obrigação de resolver e lhe dar satisfação sobre o que está ocorrendo, como vai ser resolvido e em qual prazo isso acontecerá. Aparentemente você tem um problema eletrônico e a substituição de peças na garantia não deveria exceder 30 dias, especialmente por sua moto ser recém comprada. Mas considere a possibilidade de a fábrica no Brasil também não saber o que está havendo ou qual a origem do defeito para saná-lo. Mas, independente disso, eles deveriam trocar todas as peças suspeitas para resolver a sua situação (e a Yamaha depois descobre o que foi) ou enviar a sua moto para a fábrica para resolver isso logo ou ainda trocar a sua moto caso não resolvam em 30 dias. O que é errado é você ficar à deriva sem saber aonde está nesse oceano de dúvidas.
      Fique ligado e boa sorte.
      Ah, nos dê notícias de como seu caso se resolveu, todos nós ficamos apreensivos.

      Excluir
  19. Reginal, estava já certo de pegar com minha carta de credito essa Tracer, esta na duvida de uma tracer 0km ou uma Super Tenere 1200 semi-nova. Seus relatos fortaleceram minha decisão. Já negociei uma Super Tenere 2015 colocando um pouco mais em cima. Acredito ter sido a melhor escolha. Lamento pelo ocorrido com sua motoca. Vai no PROCON e procure seus direitos, o certo é eles trocarem essa moto. Boa sorte pra vc e obrigado por compartilhar sua experiencia com a sua compra.

    ResponderExcluir
  20. Consegui que o problema se manifestasse na frente do pessoal da css Motoya de Americana, ficaram com a moto por lá e me entregaram em uma semana, até o momento, rodei 1000Km e não voltou a acontecer, disseram que era um conector mal conectado, porém como relatado anteriormente, a fábrica disse apenas que o problema foi resolvido e a reclamação registrada e que não se responsabilizam por problemas que podem ocorrer no futuro.
    Vou ficar com a moto porque é a realização de um sonho, estou equipando ela aos poucos visto que a maioria dos equipamentos são caros e alguns tem que vir de outros países ainda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menos mau Reginaldo. Obrigado mais uma vez por compartilhar conosco. Espero que dê tudo certo daqui pra frente e você se divirta muito com sua máquina. Boa sorte e pilote consciente.

      Excluir
    2. REGINALDO, que noticias desagradável são essas cara? Logo agora que apaixonei por essa moto? Meu Deus! Cara essa moto custa R$ 48 mil reais. Evidentemente tem que ser um produto de qualidade. Daqui até fevereiro de 2017 estou pensando de comprar uma MT 09 tracer. Desejaria que você me falasse como se comportou a tua moto depois que o pessoal da yamaha arrumou ela. Por favor amigo, te aguardo!

      Excluir
    3. Boa tarde e desculpe a demora em responder.
      Após o conserto, ela ficou muito boa, a moto é espetacular, faz curva como uma GSX750R e acelera como uma Bandit 1250. Agora está com 5000 Km e não tive mais problemas, cuido muito bem do equipamento e tenho uma tocada tranquila. Estou terminando de equipar para uma viagem até o Ushuaia está fazendo média de 22Km/l e mesmo carregada a ciclistica e o torque dão conta da moto se manter estável.
      Vou acompanhando uma BMW GS1200 e uma Triumph Tiger 800 XC, quando voltar posto como foi o comportamento da moto nos diversos terrenos.

      Excluir
    4. Olá, Reginaldo. Que bom que está tudo dando certo. Aguardamos mais notícias. Boa viagem.

      Excluir
    5. Boa Viagem Reginaldo.. a propósito vc está saindo de onde? Qual sua meta de km nessa viagem?

      Excluir
    6. Reginaldo Boa Viagem. A propósito, está saindo de que lugar do Brasil, e qual sua meta em Km nessa viagem? quando vai sair e quando pretende voltar pra gente ir acompanhando. Se for fazer algum diário de bordo, manda pra gente o endereço para ir acompanhando sua expedição. Grande abraço e vai ná fé e com Deus no comando!

      Excluir
  21. Eu graças a Deus fiz a escolha certa. Já estou com meu trovão azul. Super Tenere 1200 anp 2015. Moto fabulosa e o relato do nosso amigo fortaleceu mãos em não pegar a Tracer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns Maurício. Gostaria de ver um relato seu, depois, quando quiser, aqui mesmo, pois ainda não temos matéria com ela. As Ténérés são transcontinetais, especialmente a Super. Boa sorte e pilote consciente.

      Excluir
  22. Waldyr, eu vim rodando com ela do Rio aqui pra João pessoa - PB, foram 2.396km de pura aventura a Super Tenere se mostrou uma moto muito confiavel mesmo. Esse modelo 2015 está com melhorias e muita tecnologia a moto tem. Muito da Tracer vc encontra na Super Tenere, só q a Super é puro torque 11kgf e alguma coisa. Ela no modo sport vira uma avião nas acelerações. Moto muitissimo boa de curva que me surpreendeu logo na primeira serra que peguei saindo de Três Rios-RJ. Teve um consumo medio de 18,5kg nessa viagem. Vim na velocidade media cruzeiro de 130km/h. Teve um trecho numa reta sem ninguem na frente uma reta de dezenas de km q liga Paulo Afonso-BA a Garanhus, eu tentei dar um top speed nela mais só fui até 210km/h devido ela ficar muito leve na frente e os pneus trails originais não ser para essas velocidades, foi apenas um teste mesmo ela chegou a 7.5milrpm e ainda tinha motor. Moto confortável e muito boa nas estradas seja qualquer condição de pista. Peguei uma dia quase inteiro de chuva e senti muita estabilidade na moto mesmo com chuva. Em ultrapassagens entre caminhões, sobrou muito motor e fiquei bem seguro em minhas ultrapassagens. Enfim a moto no conjunto é um espetáculo e muitos relatos q li pela internet só elegios. O contra q senti foi apenas na cidade como toda moto de grande cilindrada esquenta e a ventuia se faz sempre presente acima quando atinge a 105graus. Mais isso é normal de toda moto. Manutenção dos 10mil km estou fazendo amanha na conecessionaria aqui q é considerada carissima, fechei a 300 reais com troca de oleo, filtro, checagem nas valvulas, parte eletrica, etc.. mesmo assim muito barata em relação a cb500x q eu tinha da honda q a revisão dos 12mil ficou em 528,00.
    Enfim estou satisfeitissimo com a maquina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente relato Maurício. Conheço o trecho entre P.A e Garanhuns, ali tem muita incidência de vento, especialmente no sentido Garanhuns, que segura um pouco a moto. A revisão ficou com ótimo preço, abaixo da média. Ótimo consumo também, apesar da moto ainda ser muito nova. Acho que deve melhorar de 5% a 10% ainda. É bom sentir o sorriso em nosso rosto quando estamos satisfeitos com as nossas "bikes". Obrigado pela participação. Boa sorte e pilote consciente.

      Excluir
  23. Blza grande Waldyr tudo de bom pra vc parceiro.. muitos km de sorrisos em nossos rostos. Fica na paz! Eu normalmente piloto tiozão só na boa, não gosto de me arriscar. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  24. acabei não levando na CC Yamaha e levei em um cara aqui q é bem conhecido por mexer apenas com motos grandes e tem excelente reputação. Acabou ficando por 500,00 a revisão, mais troquei o óleo coloquei do melhor q tinha. Motul 7100 pra 10mil km e filtro KS limpou o compartimento de fluido de refrigeração do radiador e colocou nova solução.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Maurício. Tenha cuidado nessa conversa de que o óleo é para tantos mil km. Isso não existe. O óleo sintético suja do mesmo jeito que o mineral e precisa ser trocado com a mesma brevidade para não lixar o motor por dentro nem entupir os dutos de lubrificação. A diferença entre os dois está na melhor estabilidade físico-química do sintético, que sofre menor alteração da viscosidade com a variação da temperatura, mantendo maior eficiência funcional. Mas a troca deve ser feita com a mesma brevidade indicada no manual. Não entre nessa conversa fiada de que óleo sintético é para mais km, pois que quem sai perdendo é você, que vai pagar mais caro para estragar o motor mais rápido. Outra coisa é que sua moto é nova, a troca do fluido do radiador é indicada no manual e o líquido que vem de fábrica é muito bom e pode ser trocado após alguns anos de uso. Não creio que seria necessário este serviço tão cedo. Lembre também que o carimbo da concessionária no quadro de revisão do seu manual do usuário é o que mantém a garantia da sua moto enquanto ela estiver no período de cobertura de fábrica. Boa sorte.

      Excluir
  25. A minha moto ja não está mais na garantia. E sei q concessionarias tb só enrolam e dizem q trocam e não trocam.

    ResponderExcluir
  26. Vou sair de Campinas-SP, pretendo fazer 14.000Km ida e volta, Chile (santiago), Pucon, Carretera Austral e volta por Bariloche. Um camarada meu fez esse percurso em 17 dias.
    Quero ir no começo de 2017.
    Vou sempre mantendo vocês informados. Abraço

    ResponderExcluir
  27. Muito boa viagem, Reginaldo. Vamos torcer para dar tudo certo com seu planejamento. Seja persistente, seguro e tranquilo. Divirta-se.

    ResponderExcluir
  28. Poxa REginal estou planejando um roteiro desse tb mais só vai dar pra eu ir em final de 2018

    ResponderExcluir

ATENÇÃO: seu comentário passará pelo moderador antes de ser publicado, então não será publicado imediatamente. Procure escrever em bom Português e não utilize linguagem ofensiva. Se comentar como anônimo, informe seu nome. Comentários desrespeitosos, ofensivos e com linguagem imprópria serão excluídos.